Câncer de rim avançado: novos horizontes no tratamento

Nesta semana, pela primeira vez na história, o FDA (Food and Drug Administration), órgão que regula medicamentos e equipamentos médicos nos EUA, autorizou o uso de uma droga para tratamento adjuvante de tumores de rim localmente avançados, ou seja, que estejam acometendo gânglios regionais (linfonodos) ou gordura próximos ao próprio órgão. O chamado Sunitinib traz boas perspectivas para os pacientes com câncer avançado.

Até então, os pacientes com esse tipo de tumor renal tinham como opção de tratamento apenas a cirurgia e aguardavam resultados ao longo do tempo. Nesse quadro, metade dos pacientes chegava a apresentar recidiva (volta do câncer).

No final do ano passado, foi publicado um estudo utilizando o Sunitinib para o câncer de rim localmente avançado. A pesquisa, denominada de S-TRAC, mostrou redução de quase 10% na chance da doença voltar após cinco anos.

Aparentemente, o resultado pode não parecer tão expressivo, mas trata-se do primeiro registro na literatura médica de melhora nesses pacientes com algum tipo de remédio.  A medicação evita a formação de vasos sanguíneos pelo tumor, o que reduz seu crescimento e até favorece o desaparecimento por falta de suprimento de sangue.

Além disso, pacientes com doença renal metastática também podem ser tratados com essa mesma droga. Porém, para esse grupo, existe ainda uma nova opção que demonstrou ótimos resultados em um estudo clínico apresentado no Congresso Europeu de Oncologia Clínica desse ano.

A pesquisa comparou o uso do Sunitinib com a associação de outras duas novas drogas, Nivolumab e Ipilimumab. Essas medicações modernas são imunoterápicos que atacam as células tumorais e fazem com que o sistema imunológico possa agir e matar o câncer. Nos pacientes com câncer de rim metastático, em específico, de pior prognóstico, a combinação mostrou ser melhor do que o próprio Sunitinib, conseguindo segurar a doença por muito tempo.

São grandes novidades da medicina em favor de pacientes com poucas oportunidades de tratamento, oferecendo novamente a esperança e, principalmente, um novo horizonte para se olhar.

Saiba mais sobre o câncer de rim

Os tumores de rim são o terceiro mais frequente do aparelho genitourinário e estão entre os 10 tipos de câncer mais comum entre homens e mulheres.

Esse câncer acomete pessoas mais velhas, entre 50 e 70 anos, sendo muito raro em indivíduos com menos de 45 anos e duas vezes mais frequente em homens do que mulheres.

Mais de 50% dos casos ficam confinados ao rim, 20% são localmente avançados e 25% costumam apresentar metástases da doença, geralmente nos ossos, pulmões e fígado. O diagnóstico da doença é feito por meio de tomografia computadorizada do abdômen e ultrassonografia.

Fatores de risco

– Histórico familiar

– Obesidade

– Hipertensão

– Tabagismo

– Doença de Von Hippel-Lindau

– Diálise

Fale Conosco    +55 11 3288-1426